11 de ago de 2010

Razão

Precisei de olhos ardidos e inchados para enxergar que a vida não é feita de vontades. E, sim, de razões.

Para controlar os seus impulsos. Para tomar as decisões certas. Para consertar as atitudes erradas. Para mudar os discursos repetitivos. Para estar satisfeito. Para mudar. Para tentar. Para continuar. Para parar. Para querer. Para começar. Para acabar.

Talvez, a única coisa que não exija razões, e apenas vontade, seja o amor. E ainda assim, estamos sempre procurando por elas em tudo que amamos ou pensamos amar. Porque talvez esta seja a única - e, no meu caso, última - razão para continuar tentando.

Nenhum comentário: